terça-feira, 23 de outubro de 2007

Só um pouquinho, depois volte para o cantinho


Hoje era um dia que eu poderia fazer uma poesia. Sensível demais, minha definição. As vezes as lembranças vem a tona, coisas que a gente quer esquecer e não consegue. Eu mesma tenho uma técnica infalivel, que hoje falhou. Fiz uma gafe? Coloco na parte do cérebro onde tudo esqueço. Um dia ruim? Vai para aquele cantinho.

Cada um com seu jeito de fugir né. Tem gente que enche a cara, compra a melhor erva ou um pó de primeira (podia até ser o do cara de Meleiro). Tem gente que chora, tem os que vão para balada, uns ficam quietos e tem aqueles que não fazem nada. Como eles conseguem não fazer nada?

Essa é minha técnica: colocar tudo naquele cantinho, numa gaveta imaginária do meu cérebro. Só que as vezes as coisas fogem dali, porque não tem como segurar. Afinal de contas eu só coloquei de lado, e não joguei fora.

Mas passa o momento sensível, e volto a colocar tudo dentro desse cantinho do meu cérebro e volto a esquecer. Até que vai chegar uma hora onde tudo volta a tona. Pois bem, mô béim, eu tenho quase certeza que isso faz mal pra mim. Na verdade tenho certeza, mas não posso dar o braço a torcer. Tenho que utilizar minha falta de memória para algo.

Quem sabe até sugir essa nova sessão de lembranças, eu já esteja mais forte para encarar. Mas tudo faz lembrar, e hoje é um dia que faz lembrar.

Nenhum comentário: