terça-feira, 29 de maio de 2007

O tempo é curto...

O que você falaria em 15 minutos? O que você faria em 15 minutos? Ou em um minuto só, ou ainda 30 segundos ou 15 segundos. Os publicitários e jornalistas sabem bem a importância do tempo. Pelo menos é isso que acho, e é com esse dilema que muitas vezes me deparo. Porque quase sempre são muitas informações, mas pouco tempo para que elas sejam passadas. Uma matéria de TV padrão globo, raras vezes passa de 1 minuto e meio. Eu não estou lá, será que um dia chego? Ta vou parar de viajar. Mas ontem em 15 minutos falei algumas coisas com o pessoal do Programa Papo da Hora: o professor Rafael e o Marco Antônio. Escutem ai: www. Papodahora.tk. O programa tem que ser baixado deste site ok?

Mas o tempo não é curto apenas para as pessoas que se aventuram em trabalhar nos meios de comunicação. E também não apenas para quem tem que vender alguma coisa em 30 segundos. O tempo não para, já dizia Cazuza. Então nada de deixar as coisas para depois, pelo menos as que você considera importantes. Por exemplo: SER FELIZ!

Comentem aqui, ou lá, o que acharam do papo e sobre o assunto debatido.

sábado, 26 de maio de 2007

As coisas que gosto

Você já parou pra pensar em tudo que gosta de fazer? Uma vez vi uma entrevista em que um senhor (não lembro o nome agora) disse que se preocupava muito com o emprego dele. Chegou um dia que ele então se aposentou e começou a pintar quadros. Até então aquilo era o passa tempo dele. Mas só ali ele começou a ser feliz. Sem falar que começou a ganhar mais dinheiro ainda. Porque isso? Porque na real, era o que ele gostava de fazer.

Então eu pergunto outra vez, você sabe o que gosta de fazer? Já me deparei com essa pergunta a uns anos atrás, poucos quero deixar claro. Em uma entrevista de emprego, um radialista renomado aqui na região de Criciúma me perguntou: o que você gosta de fazer? Não sabia a resposta.

Aluguei dois filmes e os assisti na madrugada que passou. Resolvi ficar em casa para descansar da semana corrida. Eles me fizeram pensar sobre o assunto. O primeiro, a comédia E se fosse verdade, mostra uma menina que só trabalha, e trabalha, esquecendo de viver. O outro é um filme de dança, o Ela dança eu Danço (que não tem nada haver com aquele funk). Aqui um menino descobre o caminho dele com a dança. Sem falar que o filme também é bom porque faz bem para os olhos, reparem na foto do dançarino ali. Para o bem dos meninos que lêem o que escrevo, a dançarina está junto. Enfim, são dois filmes bem legais, especialmente na visão das meninas.


Não resisti e acabei listando algumas coisas que gosto: sentir o vento no rosto, a energia do mar e do sol, cansar de tanto dançar, rir, sair com as amigas, beijar, sentir o calor de alguém, estar apaixonada por alguém, contar estórias, ficar parada analisando as pessoas, comunicar... e assim vai. Pensei então: quais delas estou fazendo? A correria do trabalho, a faculdade, parece tirar todo o meu tempo às vezes. Com vocês não acontece isso também? A correria do dia-a-dia parece ser tanta que a vida esta passando rápido demais. Olho pra cima e peço: hei Deus, por favor, um dia maior do que 24h seria possível?

Você está fazendo o que gosta? Só sei que estou com saudade de dançar! Alguém sabe de alguma escola de dança que não ensine só balé? Também quero fazer: massoterapia, estudar astrologia, fazer yoga e ainda aprender a dançar hip-hop. E claro contar muitas estórias. Sempre digo que quero fazer isso, mas não faço. Pior que só me sobra à quinta-feira...

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Seguindo

Vi algo essa semana que me fez pensar muito. Confesso que fiquei até assustada. Andando na Avenida Centenário na tarde de segunda feira, vi um ônibus passando em alta velociadade. Derrepente aquele aglomero de pessoas: um senhor foi atropelado pelo mesmo ônibus que eu havia visto. Algumas pessoas sabem o medo que tenho de ser atropelada, tanto que atravesso a rua bem correndo, depois de olhar para todos os lados é claro. Já gelei e pensei: meu Deus se é alguém conhecido? Até chorei no banheiro depois. Mas chorei porque? Porque vivemos com a certeza de que isso nunca vai acontecer com a gente. Sabemos que tudo é possível, mas não temos a consciência disso. Eu pelo menos não tenho.

Esperei o corpo de bombeiros chegar, a polícia, e o segundo amarelinho passar. Entrei no onibus e as pessoas ali nem imaginavam o que tinha acontecido. E pessoas morrem a todo tempo. Morte, que medo! Mas sabe qual o meu maior medo? Será que fiz tudo como deveria ser feito? Tomei as decisões certas? Realmente sei como viver a vida? Na real, acho que ninguém sabe muito bem. Afinal, nem sempre temos a consciência que pode ser apenas mais um passo, e a vida termina. Assusta não?

PS.: O senhor que foi atropelado não morreu, foi atendido e levado para o hospital. Segundo reportagem do Jornal da Manhã, sofreu traumatismo.

sexta-feira, 4 de maio de 2007


Oi blog, eu sou a Magali. Prefiro ser chamada de Maga ou Maguinha. E gosto mais ainda quando pessoas inventam apelidos para mim que comecem com Maga. Tipo: Magalouca, Magalosa.... Vou escrever algumas coisas aqui. Nem sei ao certo o que, mas palavras vão ser digitadas, imagens postadas, e, quem sabe, recados recebidos. Posso talvez escrever um monte de bobagens, ou coisas sérias. Sabe aquele trecho da música do Zeca Pagodinho: "Deixa a vida me levar"? Serve para esse blog. A vida vai seguir, e conforme ela, vou escrever o que surgir na cabeça.


Tá blog, foi bom te conhecer. Acho que podemos ser amigos :)
Depois escrevo mais. Beijinhos!