terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Cada um na sua

Ontem fui num lugar especial e entre todos os temas comentados tinha alguns que acho muito interessante: não falar dos outros e nem julgar pessoas. Eu como Criciumense me deparo muito com isso. Eita cidade para gostar de meter bedelho na vida das pessoas. Ou ainda cheia de preconceitos.

Cada pessoa tem sua forma de pensar, de agir e de expressar seus sentimentos. Acho que podemos falar só sobre o que sabemos, e sobre a vida dos outros ninguém sabe. Já falei algumas vezes mais do que devia, mas hoje quero aprender a ficar quieta e falar só quando necessário. E claro se a pessoa também quizer ouvir. Conselhos ou observações nada servem se entram em um ouvido e saem no outro.

Outra coisa comum é julgar pela aparência ou por erros que a pessoa cometeu. "ah tem muita tatuagem é vagabundo", "aquele dread ali? pode ver que é malucão!", "cara que menino nerds! só anda todo arrumadinho", "pode ver que é maconheiro, ó o jeito hippie!". Uma vez um conhecido meu foi assaltado e ao contar a história disse: "O assaltante estava todo arrumado, parecia um empresário nem tinha cara de ladrão". Claro, ladrão tem cara? O modo de se vestir não diz nada de ninguém. Tanto que os caras que mais nos roubam estão em Brasília e andam engravatadinhos.

Se todos nós aprendessemos a observar outros fatores, e dar valor a algo que relmente é importante, viveriamos melhor. O bom é cuidar da nossa vida, o que já é tão difícil as vezes. Deixa que a dos outros eles aprendem a cuidar. Não vale a pena também falar das atitudes de outras pessoas. Não estamos na situação delas para saber o que fariamos. Ter uma noção é uma coisa, agora vivenciar algo pode ser muito diferente.

Aprendendo e vivendo. Buscando a evolução.

Nenhum comentário: