terça-feira, 15 de abril de 2008

A imprudência continua matando

As páginas polícias dos jornais de Criciúma/SC mais uma vez destacaram mortes de jovens no trânsito. Os portais de notícias também informaram essas trágicas notícias. Um assunto diferente? Infelizmente não. As mortes de Vanessa Zanone, de 20 anos, e de Jucélia Pezente, de 26 anos, fízeram o número de mortes no trânsito aumentarem para 30 só esse ano. Número informado pelo IML de Criciúma.

Nesses dois casos, a imprudência foi a principal causa. No primeiro, os ocupantes do carro não usavam cinto de segurança, mesmo trafegando na rodovia da morte, a BR-101. Eles também abusaram da velocidade. No outro caso, a saída de uma festa na região da Praia do Rincão após algumas bebidas a mais e abuso de velocidade.

Dirigir é uma ação de muita responsabilidade. Nós jovens, somos considerados os que mais tem chances de morrer em acidentes de trânsito. Vamos a algumas estatísticas:

- Em 2007, segundo relatório da Secretaria de Saúde, 251 jovens entre 20 e 29 anos morreram em acidentes de trânsito no Estado de Santa Catarina. Analisando que o Brasileiro tem o tempo de vida estimado em 70 anos, foram 40 ou 50 anos de vida jogados fora;

- Na maior parte das vezes, as vítimas são rapazes e as mortes aumentam muito nos finais de semana. Entre os jovens, essa proporção é ainda maior: 83,5% são homens.
- Segundo dados do Detran, 75% dos acidentes de transito do país estão relacionados ao consumo de álcool. Em Santa Catarina, a cada dia, cinco pessoas são flagradas dirigindo em estado de embriaguez.

- Cerca de 40% dos acidentes nas estradas acontecem com pessoas de até 24 anos. De acordo com as polícias Rodoviária Federal (PRF) e Militar Rodoviária (PMRv), em média, mais de dois jovens morrem por dia nas rodovias do Estado. As causas apontadas são excesso de autoconfiança, álcool e abuso de velocidade.

Mas porque o trânsito mata tanto? "De acordo com especialistas, condições específicas como a necessidade de auto-afirmação, competitividade, exibicionismo, onipotência, busca de intensas e prazerosas sensações, em conjunto com a bebida alcoólica, fazem do jovem um forte candidato ao grupo de risco dos acidentados do trânsito. Muitos jovens interpretam a obtenção da CNH como um ritual de passagem para a vida adulta, que lhe dará o direito de participar ativamente da sociedade. Nessa fase, o jovem possui autoconfiança acentuada e acredita que nada de ruim vai acontecer-lhe, trazendo a certeza de que possui superpoderes na direção de um veículo", diz o texto distribuído pelo Denatran. (Este texto faz parte da apresentação da equipe de campanhas educativas do Detran nas visitas a escolas durante a Semana Nacional de Trânsito).

Já somos grandinhos o suficiente para saber que cinto de segurança é obrigatório. Se bebeu demais deixa alguém dirigir ou fica dormindo até melhorar. Velocidade excessiva não é ideal, afinal de contas dirigimos e não pilotamos. Achamos que somos imortais, mas somos feitos de carne e osso. A morte e sim algo real em nossa vida. Como dizia aquela frase: "Basta estar vivo para morrer". Vamos prezar mais pela vida, afinal de contas viver é muito bom.

Descansem em paz meninas...

_______________________
Fontes:
http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/noticias/index.phtml?id_conteudo=113557&id_secao=1
http://www1.an.com.br/2004/jun/08/0ger.htm
http://www.fetrancesc.com.br/index.php?codwebsite=&codpagina=00019024&codnoticia=0000012385

Um comentário:

Queruby disse...

Ola querida, boa postagem.

Boa quarta para ti querida.

Beijufas de Luz!!