sábado, 12 de abril de 2008

Serie Brasileira

Se você tem TV por assinatura, ou assiste canais como SBT e Record, já deve ter visto algum seriado norte americano. Têm aqueles abobados, os jovens, sobre amigos, sobre dilemas femininos, sobre super heróis, médicos, famílias e os policiais. Todos fazem sucesso, mas os que tem crimes desvendados, análises de cenas de crime que mantém aquele mistério todo parecem cativar mais. Algo em comum com o Brasil? Tratando-se de seriado até que não tanto. Temos alguns, mas os de lá movimentam mais dinheiro e parecem cativar muito mais. Claro, lá eles não tem as novelas.

Digo que hoje o Brasil vive uma série especial. Só que infelizmente não é ficção nem reconstituição de uma história. É real mesmo. O caso da morte de Isabela, que já tem 13 dias de investigação, seria esta série. As pessoas acompanham como se fosse novela. Na TV só se fala nisso. Cada dia uma novidade, cada dia um momento para mostrar os passos dos suspeitos e mostrar como a polícia vem trabalhando. Acho que alguns estão confundido realidade e ficção. Pensam que faz parte daquela velha tática de roteiristas em colocar uma morte em algum núcleo e desvendar o assassino só no final da novela. Mas não tem nada de ficção ali. E como essa história, outras existem só não tem tanta repercussão.

Em imagens das emissoras é possível ver como as pessoas acompanham o caso. Ficam na porta das delegacias, na casa do pai do principal suspeito, e parecem sentir como se tivesse acontecido com eles. Foi um crime cruel? Foi sim. Mas não é o único que acontece no país. Se fosse dado repercussão a cada história que aparece, nossa... Globo e Record não precisavam mais fazer novela.

Hoje vendo o programa Estrelas, apresentado pela Angélica, um dos entrevistados foi Cid Moreira. Jornalista que fez história na TV brasileira. Durante a conversa ele citou uma frase muito interessante e que concordo muito: "As boas histórias não tem repercussão, a pessoas gostam das notícias tristes". Não foi com essas palavras, mas foi nesse sentido. E nessa série policial brasileira, é a imprensa o principal roteirista. A cada dia é largada uma especulação nova. Bem, quem sabe daqui alguns dias a verdade real apareça. E essa série termine.

Talvez quando houver uma nova história real para contar, os nossos jornalistas saibam melhor se posicionar diante de um fato assim. E que as pessoas que acompanharem a história, analisem que não é ficção e sim caso real. Não é uma simples novela, e sim um crime cruel.

2 comentários:

Fala, Garoto! disse...

"Notícia boa não é notícia". Trabalho em jornal, sei como é a coisa. O povo reclama do sensacionalismo, mas é ele próprio quem sustenta isso! Bjão

Querubina disse...

oi
passei para desejar uma optima semana

Beijufas de Luz!!