quarta-feira, 7 de maio de 2008

Comodidades que viciam

Hoje pela manhã um imprevisto quase acabou com meu dia: meu carro não ligou. Tentei varias vezes e nada. No painel a luz da bateria acesa indicando que o problema vem dela. E olha que troquei faz menos de um ano. Mas tudo bem, o mecânico vai no final da tarde na minha casa resolver o problema. Só que num primeiro momento várias coisas passaram na minha cabeça: ir trabalhar a pé carregando uns cinco livros que tenho que devolver na biblioteca, entrevista para fazer num bairro longe e pelo jeito vou ter que pegar um transporte público, como vou no barzinho a noite? E um pensamento otimista "Ainda bem que meu carro não pifou ontem em Cocal do Sul ou Veneza!" Essas cidades ficam pertinho de Criciúma.

Onde quero chegar com esse relato do início da minha manhã é: como nos tornamos dependentes de carro, celular, internet, computador... Você já reparou? As vezes paro e penso "Como as pessoas viviam sem isso?" Mas elas viviam sem e conseguiam fazer as mesmas coisas que a gente, talvez com menos instantaneidade. Quando ficamos sem internet aqui no meu trabalho parece que o mundo vai acabar, só que soluções existem. É, essa tal modernidade tem deixado muita gente mal acostumada. Eu sou uma...

3 comentários:

Miguel Mogollón Rojas Nieto disse...

Opa! Outra Publicitaria aqui! =D
gostei do seu texto "Pior do que já está...pode ficar" e também da foto escolhida...bem chocante.

Parabéns, escreve muito bem!

felipe marcel disse...

Ai, todos elementos da pós-modernidade e toda cibercultura tomam conta de nós e não temos como fugir, né?
Mas até que é bom, vivemos de forma muuuuito melhor que esse povo do passado, né? hehehe
beeijo!

Queruby disse...

Ola e bem verdade, antes de existir por exemplo o celular viviamos perfeitamente bem, agora que existe parece que nascemos com o ceular. E como o carro, quando temos que usar os transportes parece que nunca na vida andamos neles :)

E o progresso.

Beijufas de Luz!!