segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Viver e não ter a vergonha de ser feliz

Aqui estou eu lendo as páginas do Diário Catarinense. Não consegui passar das primeiras páginas sem fazer um post por dois motivos. O primeiro é a coluna do Luiz Carlos Prates que fala sobre como a sociedade atual vive muito de aparência. Hoje mais vale ter do que ser. Posso dizer que vivo ao contrário dessa frase, por que tenho pouco e busco ser mais do que sou hoje. Evoluir sempre. No texto ele fala ainda que as vezes fazemos comparações de bens materiais que nossos amigos tem. É verdade... já cai nessa armadilha. Digamos que as vezes fica complicado pagar tudo o que se tem, o carro, a faculdade, as roupas e as demais despesas. Se virar nos 30 para pagar as contas e tentar aprender a controlar o din din. Não é fácil, mas é a consequência de minha meta de não depender do dinheiro do meu pai. Só que assim a vida fica mais difícil. Ver o carro massa de alguém e olhar para o seu 1.0 que só dá trabalho as vezes gera uma tristezinha. Sem falar na facilidade para algumas coisas que os outros têm, mas convenhamos: sentimento tolo. Inveja besta que só faz a tristeza bater. E ao contrário disso sou muito feliz por ser o que sou, mesmo não tendo o que muitos dizem que devemos ter e nem as facilidades que alguns tem. Deixa estar, aos poucos tudo acontece.


Outro motivo do post no meio da manhã é a frase dita por Renato Aragão, o lendário Didi (foto). Ele afirmou: "Não penso na aposentadoria. Quem tem projeto não envelhece, não deixo minha idade me alcançar". Com 73 anos dizendo isso? É isso ai Didi! To contigo e não abro! Uma das coisas que mais me irrita é quem desiste de viver por causa da idade. Diversas vezes já ouvi algo totalmente contrário, pessoas com pouco mais de 50 anos dizendo que não tem mais nada para fazer por que a vida esta terminando. Ei, espera ai! A vida pode terminar daqui um segundo ou alguns anos e não importa a idade que temos. O negócio é nunca deixar de viver. Existe presente melhor que viver? Para mim não. Então vamos parar de reclamar e analisar bem o que esta frase do Didi quer dizer.


Agora vou voltar a leitura do jornal.

Nenhum comentário: