quarta-feira, 29 de abril de 2009

Imagem e som, a combinação perfeita

Um filme é um conjunto de imagem, som, maquiagem, figurino, roteiro, interpretação e mais um monte de coisa. Cada item depende muito do outro. Uma cena sem aquele giro diferenciado da câmera ou aquela trilha sonora poderia ser totalmente diferente, não é? Adoro essa mágia. Mas o texto aqui é para falar sobre um desses ingredientes da telona: a trilha sonora. Alguns filmes chamam muita atenção por isso e algumas músicas viram clássicos. Quem não lembra da cena de Psicose, de Alfred Hitchcock, onde Marion, interpretada por Janet Leigh, é morta durante o banho acompanhada do som de "facadas". Fazer a trilha sonora de um filme é algo importantíssimo e demorado. Nas músicas instrumentais os maestros trabalham para transmitir com som o que a cena destaca. A canção-título também é outro grande trabalho. Ambos com o único objetivo de fazer com que a combinação da cena e do som seja perfeita.

Mesmo quando o cinema era mudo os filmes tinham uma trilha sonora. Sim! O toque musical ficava por conta da música ao vivo: piano, órgão e até mesmo orquestras. O oscar de premiação para trilha sonora foi criado em 1934. Nesses primeiros anos quem recebia o prêmio eram os chefes de departamento de música dos estúdios. Nesse ano o premiado foi Louis Silvers, chefe do Departamento de Música da Columbia pelo filme Uma noite de Amor (1934). A partir de 1938 o prêmio passou a ser entregue diretamente ao autor da trilha sonora.

A vida também é cheia de música. Os casais tem a "sua canção", tem música para lembrar da infância, da faculdade, de alguém especial, uma amizade, um final de semana diferente... cada momento com registro de imagem e de som. Loucura né? No dia-a-dia tem como você colocar uma trilha sonora no momentos também. Com os aparelhos de mp3, mp4, mp5... você pode levar a música para onde quizer. E fazer a trilha sonora de sua vida.

O som desse momento é...


Essa semana assisti uma comédia romântica com Ashton Kutcher e Amanda Peet. A Lot Like Love (De repente amor) lançada em 2005. Na trilha sonora do filme uma canção chamou minha atenção. Quem canta é Anna Nalick (foto), o nome da música é Breath (2AM). A menina ai lançou seu primeiro e único álbum em 2003, ela tinha 20 anos, só com músicas de sua autoria. Agora ela sumiu, mas a música continua ali no filme. E vai aparecer aqui também.

Segue o vídeo e a tradução da música. Ah, e o filme é bem legal viu.



Respire (duas da manhã)

2 da manhã e ela me liga porque eu ainda estou acordado,
Você poderia me ajudar a solucionar meu ultimo erro?
Eu não o amo, o inverno não era exatamente minha estação
Nós passamos pelas portas, olhos tão condenantes os deles.
Como se eles tivessem algum direito de criticar
Hipocritas, vocês estão todos aqui pela mesma razão.

Refrão:
Porque você não pode sair dos trilhos*
nós somos como carros num cabo.
e a vida é como uma ampulheta colada na mesa.
Ninguém consegue achar o botão para voltar garota,
Então coloque sua cabeça em suas mãos
E respire, apenas respire,
Respire, apenas respire.

Em maio ele fez 21 anos na base de Fort Bliss,
Só hoje ele se sentou com a garrafa na mão
Não tem estado sóbrio desde outubro do ano passado
Aqui na cidade, você pode perceber que ele esteve triste
Mas, meu deus, é tão bonito quando o garoto sorri,
Quero abraçá-lo, mas talvez eu apenas cante sobre isso

Refrão

Tem uma luz em cada final desse túnel
você grita porque está tão longe dentro
como você nunca vai estar fora.
Esse erros que você cometeu
você vai comete-los de novo,
Se você apenas tentar dar a volta.

2 da manhã, e eu ainda acordado escrevendo essa canção,
Se eu conseguir passar tudo para o papel,
Não estará mais dentro de mim
ameaçando a vida a qual ela pertence
e me sinto pelada diante da multidão,
Porque essas palavras são meu diário gritando bem alto
E eu sei que você vai usá-las como quiser

Refrão

Fonte: http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/338993/

2 comentários:

Deise Duarte disse...

Um bom filme é conjunto de boas coisas. De repente amor, realmente é um lindo filme.
Esses dias assisti um filme que era um lixo em produção, figurino, roteiro e tinha simplesmente a trilha sonora mais linda do mundo. Assisti mais que uma vez, pela trilha, mesmo desapontada com o fim da história...Chama "apenas uma vez" Já assistisse?

Ricardo Chicuta. disse...

As vezes o filme pode ser uma bosta (ooops),mas se tiver uma trilha sonora decente dá até para ir até o final.E eu gosto daquelas trilhas sonoras com músicas já lançadas.Apesar que as originais também são boas.