quarta-feira, 17 de junho de 2009

O Vendedor de Sonhos

Algumas vezes eu já havia visto esse livro exposto na livraria e ele não chamou minha atenção. Primeiro, eu não tolevara livros de auto-ajuda. Segundo, porque acredito que alguns livros aparecem em nossa vida na hora certa. Esse foi um. O vendedor de sonhos, de Augusto Cury, fez eu analisar a vida e o que tenho feito dela. São vários trexos que mereciam ser descritos e repassados. Perguntas, análises, comparações e frases que sintetizam o momento da sociedade atual. Uma pergunta em especial vou citar: Quem vive mais, o homem atual ou o de 50 anos atrás? A resposta é mais ou menos essa: A medicina vem descobrindo curas importantes e o homem está vivendo mais. Só que a vida pscicologica do homem está sendo reduzida por causa dos exageros. Por causa da pressão de ser o melhor, de ter mais, de dar um futuro perfeito aos filhos, de ser bela, de saber de tudo o que acontece... não sobra tempo para viver. Estamos sempre cansados, estressados e a vida passa cada vez mais rápido.

Há três meses larguei um emprego estável. Ouvi frases do tipo: "Maga, por que tu fez isso?", "Você só iria se dar bem, tinha tudo para dar certo ali", "Não vai dar certo" e sem falar na frase clássica do meu pai "Supermercado nunca quebra filha, todos precisam comer". O que pode ser comprovado nos números, o setor supermercadista registrou crescimento no primeiro trimestre do ano, mesmo com a tão famosa crise mundial. Mas não era isso o que eu queria.

Hoje moro sozinha, não tenho mais a estabilidade financeira de antes, estou deixando meu orgulho de lado e pedindo dinheiro para o meu pai (algo que eu realmente nunca gostei muito de fazer). Aprendi e estou aprendendo que posso viver a vida sem ela ser tão acelerada. Que é importante ter, mas é mais importante ser. E principalmente: estou correndo atrás do que realmente gosto de fazer. Um recomeço, uma aventura, momentos difíceis mas de felicidade. Por isso digo que esse livro apareceu no momento certo na minha vida. O livro conseguiu vender mais um sonho.

Nenhum comentário: