sexta-feira, 17 de julho de 2009

Independência total inclui a financeira



Morar sozinho é ótimo. Ter seu canto, fazer o que dá na telha, festas, sem ordem dos pais... mas tem também o lado financeiro. Se você está morando sozinho temporariamente por causa de algum curso na faculdade geralmente a ajuda dos pais sempre existe. Mas se você procura a independência total o lado financeiro tem que ser muito analisado.

Inicie analisando em que cidade você quer morar e quando é o custo de vida. Pesquise aluguel, média de luz, água, telefone, condomínio, custos com compra de móveis, eletrodomésticos e utensílios básicos. Some mais as despesas com parcela do carro, gasolina, cartão de crédito, comida, roupas, festas, plano de saúde e outras coisinhas mais. Você tem dinheiro para bancar tudo isso? Então vá em frente.

Uma alternativa barata é dividir apartamento, uma republica estudantil podemos dizer. Esse é o meu caso. Além de mim, mais duas meninas vivem no mesmo apartamento. Até agora vem dando certo. O bom é que todas as despesas são divididas e o custo mensal é mais em conta do que alugar um apartamento de um quarto só. Aluguel em Floripa não é dos mais baratos não.

Morar sozinho? Só depois.

Para outros jovens continuar morando com o pais é uma alternativa. O dinheiro que seria gasto com custos domésticos pode ser aproveitado em outro campo. Viagens, cursos e no que mais desejar. Alguns contribuem com as contas da casa já outro aproveitam ao máximo a mordomia. O chato é continuar seguindo as regras da casa dos pais. Só que como sobra mais dinheiro no mês viagens de final de semana e festa na casa dos amigos é uma boa alternativa para fugir um pouco disso.

Independência ou uma comodidade prolongada? Cada um decide sua prioridade e o que é melhor para o seu futuro. Mas seja qual for a escolha, a responsabilidade continua junto. Claro que morar sozinho é ainda mais complicado. Por isso, deve ser analisado, planejado e calculado. Boa sorte para você e para mim também.

Nenhum comentário: