terça-feira, 11 de agosto de 2009

Sair de casa é sentir saudade

Sair da casa dos pais é passar a sentir saudade. Pelo menos no meu caso é assim. Em alguns é ir para o céu e nunca mais encontrar com os pais. Mas eu não, eu realmente sinto saudades. Principalmente daquelas situações básicas do dia-a-dia. Esse final de semana aproveitei para ficar bastante com a família. E fiz bem. Você passa a dar muito valor a momentos como esse. Minha mãe sempre do mesmo jeito, meu pai sempre maluco. Minha irmã sempre menina e minha dog sempre esperta. Coisa boa demais! Sinto falta disso, quem não sentiria? Minha mãe me encomodava muito. Continua ligando umas duas vezes ao dia, afinal de contas ela fica preocupada com sua menininha "Tá bem filha? Tá muito frio ai? E tá comendo direitinho? Tem Leite Ninho (meu eterno vício)?". Meu pai sempre foi o mais divertido. Todo dia vinha com alguma piada, tomava suas cervejinhas e hoje tem o novo hábito de dar todo o tipo de comida para a cachorra. Sem falar que ele fica falando: "êee Aylinha fofinha que bonitinha". Ter pai divertido é o que há! Ser comparada com a cachorra por ele, por ela ser uma arteira, até fica engraçado nessas horas. Diz ele que a dog veio para me substituir. Vê se pode? Minha irmã sempre pensando nos estudos, no próximo concurso, falando com a cachorra e falando do namorado. Ah e ela fica sempre me cornetiando e pensando no que vamos comer. Eita gulosa.

Como não ter saudade disso tudo? Eu tenho. Mas sei que a vida caminha como deve caminhar. Sempre chega a hora de sair do ninho e de sentir saudades.

2 comentários:

Juliana S. Duarte disse...

Com certeza... Até porque, o importante é ser feliz. E se você estiver, com certeza eles também estarão!

Márcia Denardi disse...

Magaaaaaaa... Verdade, a saudade da família é sempre enorme. Mas é bom dar vez às nossas asas, né? Seu blog é muito bom. Parabéns!