segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A vida é tão frágil

Esse final de semana fui a um lugar que não gosto muito, no cemitério. É raro eu ir até lá por alguns motivos, o principal é que não me sinto bem. Talvez porque ali eu lembro que a vida é tão frágil? Pode ser. Mas nesse final de semana eu fui. Não fui me despedir de alguém querido, nem visitar o túmulo de alguém, apenas fui acompanhar uma amiga até um velório. Fiquei lendo uma revista enquanto minha amiga se dirigiu até a capela e foi abraçar a amiga que perdeu o marido. Depois de um acidente de moto, dias na UTI, ele não resistiu. Deixou por aqui a família, a mulher, um filho recém nascido e uma enteada. Uma triste partida, principalmente para quem ficou e que deve pensar: "Ele foi embora cedo demais".

Não desci do carro, mas mesmo assim acabei chorando. Como? Nesse tempo um jovem homem sentou ao lado do meu carro e chorou algumas vezes. Com as mãos no rosto perguntava em meio a soluços: "Por que Deus? Por quê? Por que ele? Por que agora?" Era uma dor, uma angústia, tantas dúvidas e tanta certeza de saudade. Chorei, porque também já passei por isso. Todos passam por isso, dizer adeus dói demais. Aproveitei e rezei, pedi para Deus iluminar aquele jovem que chorava, as pessoas que sofriam aquela perda e quem tinha partido. Também pedi para que eu tenha força para encarar isso tudo quando for a minha vez de chorar. E pedi para que eu saiba aproveitar o tempo que tenho por aqui. Pensar que a vida é frágil demais também dói, e pior ainda é pensar que muitas vezes deixamos as coisas para depois. E quem disse que o depois poderá chegar? A vida realmente é o hoje, o agora e o momento.

6 comentários:

Louise disse...

Chorei só de ler!
Realmente, as vezes a gente nao percebe que a vida é tão rara, e deixa de aproveitar tanto né...
Temos que viver cada momento como se fosse o ultimo!

Louise disse...

Chorei só de ler!
Realmente, as vezes a gente nao percebe que a vida é tão rara, e deixa de aproveitar tanto né...
Temos que viver cada momento como se fosse o ultimo!

Filipe disse...

Pior de tudo que este é o destino de todos.

Por isso que é importante viver, fazer o bem sem olhar a quem...

Como diria minha vó: No final, o caminho de todos é o mesmo, mas os frutos colhidos que foram plantados aqui na Terra, serão diferentes.

Anônimo disse...

Oie maga... eu conhecia ele, era o Ale, com quem eu trabalhei na Cristal Broadcast, cara muito legal mesmo. Eu queria ter ido, mas sair daqui de criciuma e depois voltar ia ser foda. Imagino que deve ter sido muito emocionante mesmo.
bjos! Re Guidi

Morgana disse...

ai maga, hoje estou sensivel e acabei chorando, a loreta me contou do acontecido, que triste tomara que agente demore a passar por isso :( beijo flor

Loreta Diaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.