quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Um amigo perguntou o seguinte: Maga tu sente solidão? Eu respondi: Sinto sim. O motivo desse diálogo? Ele também saiu de casa faz pouco tempo. Deixou Criciúma e foi morar em Porto Alegre. Visita a família a cada dois meses e sente as mesmas coisas que todos devem sentir quando essa mudança acontece. É hora de cortar o cordão umbilical por completo, hora dos pais deixarem seu filho voar, hora de encarar a vida de frente. A solidão vem junto e ela demora um pouco para deixar de existir. O retorno para a casa dos pais para uma visita parece ser sempre uma nova despedida. Principalmente por seus pais, que demonstram a falta que você faz. E porque tê-los por perto realmente traz um conforto enorme. Enfim, você descobre o quando os ama e até passa a dar mais valor a essas pessoas que tanto cuidaram de você. E assim continuarão fazendo até o fim de seus dias. O porto seguro de muitos.

Com o tempo você conhece novas pessoas, existe a adaptação ao novo ambiente, ao novo lar e a nova situação. Mas até que isso tudo aconteça a solidão continua ali e a carência aumenta. Ao mesmo tempo que o medo existe e a coragem cresce. Você evolui muito e aprende com tudo isso. Mudanças e mais mudanças. Adaptações e mais adaptações. E o interessante é que o choro, que teima em ficar meio trancado na garganta, não sai. Por que? Porque no fundo você sabe os motivos dessa mudança e espera que tudo aconteça como você planejou. Afinal de contas, depois da tempestade vem um dia bom.

3 comentários:

D.V disse...

Mente vazia, oficina do Diabo!

e sentir saudade é bom...

gostei do MAGALICES , me lembra infância , gibi da turma da Monica

Magalices disse...

É verdade, não pode deixar a mente vazia. Mas mesmo com ela muito ocupada esses sentimentos aparecem. Natural da mudança e devemos aprender a lidar com eles. Coisas da vida, que por sinal é boa demais!

D.V disse...

Sentimentos são para ser sentidos e não feitos. Deixa ele chegar, senti ele e deixa ir embora.

O jogo é pra ser jogado , o Lambari é pra ser pescado.

Traduzindo: tem hora que temos que agir , é do jogo, é da vida...tem hora que temos que pescar, sentar ali, fica paradinho e esperando o tempo passar.