quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Ctrl c + Ctrl v = As cinco diferentes atitudes

Por isso que sempre espio o blog do Paulo Coelho todas as manhãs. Entre as linhas ali escritas sempre existe algo para tirar proveito. Algo que te faz pensar e hoje não foi diferente. O que mudou foi que decidi dividir o texto com vocês.

O texto a seguir é adaptado de uma história de Portia Nelson:

1 - Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu estou distraído, pensando em mim, e caio lá dentro. Me sinto perdido, infeliz, incapaz de pedir ajuda. Não foi minha culpa, mas de quem cavou aquele buraco ali. Eu me revolto, fico desesperado, sou uma vítima da irresponsabilidade dos outros, e passo muito tempo lá dentro.

2 - Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu finjo que não vejo, aquilo não é meu problema. Eu caio de novo lá dentro. Não posso acreditar que isto aconteceu mais uma vez, devia ter aprendido a lição, e mandado alguém fechar o buraco. Demoro muito tempo para sair dali.

3 - Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu o vejo. Eu sei que ele está ali, porque já caí duas vezes. Entretanto, sou uma pessoa acostumada a fazer sempre o mesmo trajeto. Por causa disso, caio uma terceira vez; é o hábito.

4 - Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu dou a volta em torno dele. Logo depois de passar, escuto alguém gritando - deve ter caído naquele buraco. A rua fica interditada, e eu não posso seguir adiante.

5 - Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu coloco tábuas em cima. Posso seguir meu caminho, e ninguém mais tornará a cair ali.

Qual delas vocês costuma fazer com mais frequência? Confesso que alterno entre algumas, muitas vezes por teimosia ou por burrice mesmo. Geralmente sabemos o caminho certo, mas nem sempre esse é o mais fácil. Conseguir tábuas para tapar o buraco é mais difícil do que simplesmente passar por ele. E ainda mais difícil do que aproveitar para culpar os outros por cair nele e por ele estar ali na sua frente. Agir, ter atitude e fazer o diferente é o caminho certo, e relamente muito difícil.

Nenhum comentário: