quarta-feira, 3 de março de 2010

Quarta do sofá: Eles tem medo de namorar (?)

Você conhece alguém, rola uma sintonia legal, vocês começam a sair, você conhece os amigos dele e ele os seus. Pronto, o próximo passo é o namoro. Só que a tal intimação para o compromisso não é proferida pelo gato. O menino te enrola, enrola e continua enrolando. Você se sente uma panqueca ou sushi... pronto, hora de parar e analisar a situação. Uma alternativa: faça você mesma o pedido. Ou incorpore uma terapêuta e analise o porquê de toda essa enrolação. Dizem por aí que os caras tem medo de namorar. Os motivos seriam:

Medo de ser abandonado - deu algo errado na família e o guri pensa que vai rolar com vocês também. Esqueceram ele um dia na escola por quatro horas e ele pensa que você também fará isso (essa parte eu inventei mesmo sabe?).

Trauma de namoro mal sucedido - gamou uma vez, se deu mal e tem medo disso acontecer outra vez. É, isso é difícil mesmo.

Eterna criança - não admite que a idade está chegando e nem as fases que o amadurecimento traz. Namoro, noivado, casamento, filhos... (até eu fiquei com medo agora). Os compromissos da vida, evolução e assim vai.

Comodismo - assim tá bom, por que namorar?

Amigos, carreia ou estudos em primeiro lugar - os planos do cara são outros e você apareceu na hora errada. Ele tem outras prioridades no momento.


Sinceramente? Acho isso tudo besteira. Se o cara está afim está e pronto. Os planos podem mudar, oras. E vale dizer que nós mulheres também temos esses medos. Já foi o tempo em que mulher só buscava um companheiro. Queremos independência, queremos viver, queremos experiências, queremos muitas coisas. Em alguns momentos o medo bate sim, para ambos os lados. Então, se o cara estiver te enrolando chega e pergunta: e dai, qual vai ser? Se ele disser não você vai chorar, vai ficar triste, mas logo logo encontra outro cara para se incomodar. Isso é fato. Ou enrole ele também. Até que um dia o cara certo, e sem frescura, aparecerá em sua vida.
Foto: uma peça da Lulu Artes.

2 comentários:

Luiz Mário disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Mário disse...

Gostar é uma armadilha, ou um contrato. Ou ambos, vai saber...

e se passar do limite?

Vai estragar a magia?

Gostar é como uma pintura, uma flor, ou acordar em qualquer dia. As novidades são sempre as mesmas, mas nunca iguais.

Amar é mais, como uma brisa, um segredo ou uma inspiração.

Simplesmente aparece, e muda tudo.