segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ele chorou...

Hoje vivi uma das cenas mais tristes da minha vida. Voltando para casa depois de uma pauta (matéria) passei por um cachorro atropelado. Ele era preto, tamanho médio e estava do lado oposto da rua. Passei de carro por ele, vi que ele estava ali deitado. Só de ver algum bichinho assim já dá uma dor, mas passar por ele e ouvir seu choro foi horrível. Meus olhos enxeram de lágrimas. Comentei com a Dani, minha colega de trabalho para quem dei uma caroninha, sobre o caso. Ela não acreditou de primeira. Até comentei que outro cachorro, um grande branco e preto, estava indo ajudar o amigo.

O que concluímos? Os animais não tem o dever de saber quando devem atravessar a rua. Quando vejo alguns cachorros olhando para os dois lados e atravessando na faixa de pedestre penso como eles são espertinhos, só que nem sempre isso acontece. Sei lá se eles aprendem como atravessar uma rua, eles não precisam disso. Outros animais também são atropelados. Isso porquê o homem cada dia mais ocupa o espaço de outras espécies. Muitos tratam os animais como mercadoria, como moeda de troca, como simples objetos. Se acham os donos do mundo, somos os maiores predadores desse planeta maravilhoso.  Muitas vezes me pego pensando na beira do mar que um dia meus filhos, meus netos... não poderão curtir tanto o mar como eu agora. O ar, a temperatura, a água, as cidades... tudo vai estar diferente, e se nada mudar estará pior. O futuro muitas vezes me assusta. Tenho medo desse orgulho, desse individualismo e do rumo que as coisas podem tomar. As pessoas não analisam o quanto tudo já está afetado.

Precisava desabafar....

Nenhum comentário: