sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Droga, ela cresceu!

Tudo bem, nem eu e nem minha irmã mais nova somos tão novas assim. Só que o anuncio de noivado dela me fez pensar: "Droga, minha irmãzinha vai casar". Isso não significa que estou triste, nem que eu não goste do meu cunhado, mas dá uma dorzinha por pensar que minha irmãnzinha cresceu. Saudade dos tempos de criança, dos tempos de ter que falar com ela com jeitinho quando ela acordava assustada no meio da noite, saudade de levar bronca porque minha irmã nunca recebia puxão de orelha na escola, saudade dela me infernizando, saudade e saudade. O tempo passa rápido demais.

Lembro de quando ela me apresentou o primeiro namorado. Foi muito antes dos 18 anos, ela quase me enganou quando disse que não namoraria antes deles. Confesso: sempre fui uma cunhada chatinha. "Que negócio é esse de ficar beijando minha irmã?" Afinal de contas eu sou a mais velha e tenho que cuidar. O pior vai ser eu ter que dançar descalça no casamento. Segundo uma superstição, quando a irmã mais nova casa antes da irmã mais velha, a mais velha tem que dançar descalça no dia do casamento. Se eu não fizer isso, posso não encontrar um marido! Melhor garantir. E se até lá eu não encontrar um gatinho para me fazer companhia e para mostrar aos tios e tias que não estou tão encalhada como eles pensam, posso fazer como a personagem do filme Muito Bem Acompanhada. No final posso me dar bem.

Nenhum comentário: