quarta-feira, 22 de maio de 2013

O poder das frases

Uma frase. Sim, uma simples frase pode fazer um bem tremendo. Ela também pode fazer um estrago e tanto. Mas sou otimista e prefiro os exemplos legais da vida. Então, continuando, uma frase pode mudar muita coisa. Ela pode ser dita por alguém, pode ser escrita por alguém, pode ser dita para outro alguém e você escutar sem querer. Sabe aquela direta do destino? Pois é. Frases mudam vidas, mudam e mudaram a história. A ida até a lua não seria a mesma sem a épica frase de Neil Armstrong: "Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade". A frase "Pai, perdoai-os porque eles não sabem o que fazem" marcou a crucificação de Jesus. Esse, inclusive, criou frases importantíssimas.

As frases por vezes tornam-se lemas de vida. E a união de várias podem servir de apoio para diversos povos. O que seria da luta de Martin Luther King Jr. sem seu famoso discurso? Frases determinam destinos. Formam leis, formam cartas de amor, formam sentenças e formam acordos de paz. Frases, frases e frases. Pensamentos soltos, pensamentos super elaborados ou um desabafo. Ou simplesmente uma questão.


Essa foi a frase inspiradora deste texto. É, eu disse que frases são poderosas. Essa fez eu formar esse amontoado de frases aqui. E também fez eu repensar algumas coisas. Isso tudo fez dela uma frase lema. Pelo menos para mim. Pelo menos para o agora.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Tricota ali, tricota aqui, tricota no inverno!


Tricô! Como eu te quero! Depois de dar o ar de sua graça e enfeitar de leve o verão, o tricô volta ao seu habitat natural. Não existe inverno sem tricô minha gente! Então abuse dele. Opções não faltam. Dá uma olhada nos looks que encontrei.











segunda-feira, 20 de maio de 2013

Penso, penso, penso...

Penso, logo existo já dizia Descartes ao ver que ele poderia pensar livremente e ser o filósofo que era. Ouso aqui adaptar essa frase para: penso, penso, penso, penso e continuo pensando. Sim, essa combina mais comigo. Com minha mente acelerada, ansiosa e muitas vezes confusa. Penso, penso, penso... e escrevo. Algo que sempre fiz e algo que minha terapeuta orientou. Penso, penso e penso. Penso tanto que me estressa. Penso tanto que esqueço o que pensei antes de tudo. Hoje o pensar está me angustiando. Minha tarefa é desacelerar essa mente pensante e maluca. Mas ver uma mulher segurando uma sacola plástica numa mão e portando uma bengala na outra me fez pensar, por exemplo. Sim, ela estava ali parada na beira da calçada olhando para os dois lados da rua. Atravessar era possível, eu mesma pensei umas três vezes e mentalizei: vai senhora! Mas ela não foi. Acho que ela deveria estar pensando, pensando e pensando.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Esquentando a cabeça

É, mais uma onda de frio chegou para agitar nosso outono. É hora de tirar as roupas quentinhas do armário. Um salve para os casacos, para as blusas de lã, para as calças e para as botas. Confesso que amo o verão e escrevi isso para ser amiga das meninas que gostam do frio. Também confesso que, apesar da declaração acima, adoro os acessórios de inverno. E um dos meus preferidos é o gorro. Já andaram publicando por aí que ele vai esquentar muitas cabeças nesse inverno. Sim, vai ser modinha! Vamos aguardar para ver se a velha fórmula vai rolar mais uma vez. Aquela do bombou na gringa = bomba aqui também.

Eu já comprei o meu gorro vermelho. Os próximos serão um preto e um cinza. Falando em cores, uma dica que li foi: roupa colorida = gorro mais discreto. Já se o caso for ao contrário abuse das cores. Aqui vão algumas fotos para inspirar você!







segunda-feira, 13 de maio de 2013

Povo realmente livre?



13 de maio é um dia e tanto. Dia de comemorar a liberdade do povo negro que tanto foi massacrado nesse país. Uma mulher foi a responsável por isso. Que coragem! Foi o que pensei ao lembrar que a princesa Isabel foi quem decretou o fim da escravidão lá em 1888. Que vitória! Que mudança... que bagunça. O povo estava livre, mas não tinha para onde ir. Não tinha emprego, não tinha casa, sofria preconceito, não tinha estrutura para viver, educação, saúde, não podia cultuar seus orixás... cadê a tal liberdade?

E ela hoje existe? O povo continua sem educação decente, sem poder ficar doente, ainda sofre com o racismo, o Candomblé e a Umbanda continuam sendo vistas com maus olhos, o povo ainda está jogado nos morros e nos bairros localizados nas periferias das cidades. A liberdade existe, mas a perspectiva de uma vida melhor ainda parece distante para muita gente. O "rei" continua roubando o que é do povo e ele preso nas correntes invisíveis. Porque elas ainda existem. É, meu País, deixaram meu povo faminto e infeliz. Já dizia o Dazaranha. E diz errado?


sábado, 11 de maio de 2013

Pedalada e cliques

Não casei ainda, então tenho uma bicicleta. Confesso que é a segunda. E cada vez que falarei de bicicleta vou usar essa piadinha. Até eu casar. Depois desse evento matrimonial irei mudar a piadinha, acredito, e continuarei fazendo piadinha de bicicleta e casamento. A primeira bicicleta que comprei era um desastre. Pequena e desconfortável. Realmente um amor que não deu certo. A segunda, já com mais experiência, é bem melhor. Bem mais a minha cara. Só falta uma cestinha para deixar ela ainda mais linda. Ela ser melhor me faz querer exibi-la por aí. Ou seja: andar! E morar em um lugar mais propicio para isso também ajuda. É, acho que o momento realmente favorece a segunda bicicleta.  Como todo segundo amor, novas promessas foram feitas. Uma delas é: andar na Avenida das Rendeiras, aqui na Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Convenhamos que esse cenário pede umas pedaladas diárias. Não, ainda não estou pedalando todos os dias. Eu apenas pedalei uma vez. E como boa blogueira durante todo o trajeto pensei em textos. Sim! E claro, observei o quanto atraente uma mulher andando de bicicleta é. Fiquei surpresa com os olhares. Acho que a bicicleta pode ser uma boa forma de transformar a piadinha ali do início (tá, já imaginei um filme romântico. Com um galã, é claro). Durante a pedalada eu também fiz fotos. Sim, parei, cliquei e continue pedalando. Eu moro há 4 anos em Floripa, a Av. das Rendeiras já não é mais nenhuma novidade para mim, mas ela ainda fascina.

A bike. Foto: Maga Colonetti.

Observando o fim de tarde de alguém. Foto: Maga Colonetti.

.
Ah, o amor. Foto: Maga Colonetti.

Parei e admirei uma árvore. Foto: Maga Colonetti.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Gabriel e sua história de amor

Ahhhh o amor! Sentimento que procuramos e necessitamos a vida toda. Toda forma de amor é a meta. Viva os amores, as amoras e os poréns. Sim, os poréns. Afinal existem aqueles amores perfeitos, porém... Se bem que a perfeição não permite mas, porém ou entretanto algum. Tudo bem, achar que é perfeito também faz parte do amor. Viva o grupo dos caçadores de emoções únicas e duradouras enquanto tiver que durar. Viva o grupo dos fujões do amor também. Espécie bem representada no personagem principal do livro "Memória de minhas putas tristes", de Gabriel Garcia Márquez
.

O personagem de 90 anos nunca amou na vida. Decidido a ter um aniversário sensacional ao lado de uma menina, virgem, puta e inocente ele não imaginava que essa seria uma história de amor. É, histórias de amor também rendem livros premiados. Rendem músicas, filmes, histórias para contar, peças de teatro e algumas matérias nas páginas policiais. Pois é, nem todo amor é perfeito. Mas todo amor, independente da idade que você tiver, vai te deixar boba, vivendo nas nuvens, vendo tudo mais colorido e lindo. Pode funcionar melhor que qualquer creme rejuvenescedor. Você pode até ficar meio tola, mas isso também faz parte de amar. E isso pode dar um medo danado. Sim, perder o controle por alguém? Como assim? Ei, perca o controle por você. Afinal, amar é uma troca. Que deverá ser justa. O medo só atrapalha. Só mesmo. Tudo bem se você já quebrou a cara algumas vezes, faz parte das histórias de amores que não deram certo. É legal ter algumas para contar. Pior que isso é ter tanto medo e não amar nunca. Assim como o personagem do livro do Gabriel aí. Isso pode ser uma escolha, pode ser uma alternativa, pode ser uma fuga... mas resumindo: é uma perda de vida. Afinal, viver e não amar é algo que não combina.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Perdoe, eles não sabem se divertir



Não sei por que as pessoas teimam em associar felicidade com dinheiro. Gente, os melhores momentos da vida são de graça. Aqui vão algumas sugestões: uma troca de sorriso, abraço, beijo, correr por ai, dar um mergulho no mar, colher uma fruta direto do pé, admirar a lua, amar, ficar no sol, fazer carinho num animalzinho de estimação e festas free. Sabe outra coisa que te faz feliz e é de graça? Ter amigos. Sim, conhecer pessoas, rir, conhecer culturas diferentes e ver que todos estão crescendo e vivendo algo. Isso pode parecer um sonho de criança, um desvaneio maluco ou coisa de artista. Mas pensar assim pode te ajudar a ser feliz. Ah, mas antes de mais nada, sou contra a ditadura do ser feliz. Aquela que diz que você não pode chorar nunca. Você precisa chorar. Precisa ter dias tristes. Precisa e precisa. Isso faz parte do equilíbrio. Ser feliz não é ser irresponsável. Eita gente chata essa que pensa e leva a vida certinha demais. A vida é para ser vivida.  Simples assim. Não complique. Só viva a sua vida e respeite as dos outros. 

domingo, 5 de maio de 2013

Forte ou fraco


Tenho um ponto fraco. Esse me derruba fácil. Eu perco o controle, fico boba, fico muda, fico totalmente paralisada. O sangue. Não posso ver uma ferida, algo costurado, algo dolorido mesmo e sangrento. Até a maquiagem mais tosca de um filme besta me faz desmaiar. Minha mãe não concorda com isso. Ela diria que minha ingenuidade é realmente meu ponto fraco. Eu já diria ser ela um dos meus pontos fortes. E diria ter pena de quem perdeu sua ingenuidade, esse sim tem que se preocupar. Ser ingênuo é acreditar na vida da sua forma mais pura. Infelizmente, o mundo de hoje não analisa as coisas bem assim. Talvez minha mãe tenha razão....

sexta-feira, 3 de maio de 2013

O correio chegou!

Quem aí ainda tem medo de fazer compras online? Alguns sites podem ser seus melhores amigos na hora da compra. Afinal, alguns oferecem produtos lindos e super em conta. Uma boa alternativa já que comprar roupa com relação custo benefício favorável hoje é difícil. Tá caro demais! Ou seria o salário do brasileiro que está baixo demais? Bom, análise econômica lançada.

Um site legal para quem quer arriscar umas compras online é o Ebay. Eita site tentador! Não resisti e fiz algumas comprinhas. Fazia tempo que eu não investia em modelitos novos. Quem é menina sabe: roupa é investimento. Comprar faz um bem tamanho! Só não vicie, porque existem bolsos que não nos dão esse luxo constante (esse conselho vale para mim!). Resolvi tirar um dinheirinho do bolso e comprei alguns itens que já desejava há um tempo e que preciso há um tempo. Desejar e precisar são coisas bem diferentes. O melhor de tudo é que escolhi os tamanhos certos. Eu tinha um medo danado de errar! E olha que tive a difícil tarefa de comprar uma bota nesse site. Para fechar positivamente essa linda aventura: os produtos chegaram em 30 dias. Ai que lindeza! Aqui estão eles:





Outra dica é o AliExpress. Fiz a primeira compra ontem, quando o produto chegar eu dou meu parecer.

Vamos combinar?
Como usar essa peças lindinhas é a próxima tarefa. Inspiração "googleana" é o que não falta. Olha só:


Fofura né?







Meu preferido! 

A brincadeira e o sol

Tape o sol, fique no sol, pegue o sol, brinque no sol, apenas brinque.


Não importa a idade que você tenha, brincar é o remédio. Não falo do brincar de boneca, brincar de carrinho ou brincar de esconder. Se bem que brincar de esconder na nossa idade tem seu fetiche, né? Falo do brincar com o que for possível. Rir sem parar até sua barriga doer. Use sua imaginação. Ao brincar você vai ver que é simples ser feliz. Basta brincar.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

A tempestade


Uma pausa. Sim, um tempo. Um momento de introspecção. Para, pensa, muda, volta... algo assim. Uma confusão tremenda. Uma crise já anunciada. Pensamentos, choros, voltas por cima. Um adeus, um até logo, um oi. Uma música nova, um filme diferente, vários livros. Fotos bonitas, fotos com foco e sem foco. Imagens, um diário, um momento. Uma descoberta, um encontro, um recomeço.

Posso ficar aqui procurando palavras para explicar o ano que passou. Foi preciso se perder para encontrar. Foi preciso sofrer para mudar. Foi preciso tanta coisa. Nossa, e foi preciso viu. A tempestade foi forte. Ela poderia ter rendido muitos textos por aqui, ah poderia sim. Mas o momento era  meu e muito meu. Daquele em que você precisa estar com você e só. Agora a tempestade está no fim, o céu está quase limpo por aqui. Ainda existe confusão, algumas dúvidas, novas certezas surgindo e um pouco de insegurança. O vento passou, revirou tudo e fez as coisas ficarem, em fim, no seu lugar. Ainda vai levar um tempo para tudo voltar ao "normal". A única certeza é: ainda bem que a tempestade veio.