terça-feira, 24 de setembro de 2013

Despertar a criança interior, viver com humor e sorrir serão os ensinamentos do curso Spiritual Clown


Através de brincadeiras e vivências, o psicólogo Guilherme Barcellos pretende trabalhar a arte de fazer sorrir, de manter o bom humor e ativar a criança interior. O curso Spiritual Clown acontece dia 5 de outubro, em Florianópolis, no espaço Reverbera. “Olhar o mundo a partir da perspectiva da criança interior, vendo que tudo é novo e possível abre as portas do coração e da mente para o que vem de dentro do nosso ser; fazendo com que tenhamos atitudes proativas e compassivas em todas as relações”, explica Barcellos. A sociedade atual tem grande preconceito com as atitudes infantis e isso acaba podando os impulsos íntimos e emoções. A criança interior quando despertada em seus aspectos positivos traz coragem, entusiasmo, equilíbrio, criatividade e espontaneidade. Faz parte do autoconhecimento. Segundo Barcellos, frases como: para de inventar menino, fica quieto, cala a boca, e etc; dificultam a capacidade da criança de se desenvolver de forma psicologicamente saudável. Algumas mágoas são criadas e bloqueios surgem. “Ao nos tornamos adultos, sentimos a ambivalência da espontaneidade e colocamos mais valor no autocontrole, mas precisamos de leveza”, conclui.

E a leveza necessária pode ser conquistada com o bom humor, e ele também será trabalhado no curso Spiritual Clown. O objetivo é desbloquear entraves psicológicos que interfiram na capacidade de relacionarmos com o bom humor, mesmo com pessoas difíceis ou em situações críticas. A dica é construir bons hábitos de humor no dia a dia. Por exemplo: aprender a fazer piada, assistir comédias na TV ou teatro, brincar com ou como criança. Barcellos adiciona ainda o hábito de encontrar o lado engraçado das situações cotidianas e das situações críticas que você e os outros vivem. “O stress só existe na medida da nossa interpretação aos eventos que vivemos. Ter uma perspectiva bem humorada da vida e seus altos e baixos, sabendo que “tudo passa” ajuda a passar pelas crises sem estressar”, explica. O psicólogo entende bem de humor. Há mais de vinte anos trabalha com teatro Clown e a tese do mestrado em psicologia espiritual, feito na Califórnia, defendeu que ter o olhar do bom humor na vida pode mudar tudo.

O curso ainda vai ensinar truques e técnicas de clown para usar na vida cotidiana. Inclusive esse é o primeiro módulo do curso de formação clown. No total serão cinco módulos: criança, adolescência, família, sociedade e espírito.

Serviço:
Spiritual Clown, dia 5 de outubro em Florianópolis, Espaço Reverbera, das 10h às 19h.
Valor da inscrição R$ 170 à vista ou em duas vezes no cartão (vagas limitadas).
Telefones: (48) 3365-5606 / 9669-3063 E-mail: contato@reverbera.com.br
Idade mínima 16 anos
Promoções:

Faça sua inscrição até o dia 30/9 e ganhe R$40 de desconto. 

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O poder das frases

Uma frase. Sim, uma simples frase pode fazer um bem tremendo. Ela também pode fazer um estrago e tanto. Mas sou otimista e prefiro os exemplos legais da vida. Então, continuando, uma frase pode mudar muita coisa. Ela pode ser dita por alguém, pode ser escrita por alguém, pode ser dita para outro alguém e você escutar sem querer. Sabe aquela direta do destino? Pois é. Frases mudam vidas, mudam e mudaram a história. A ida até a lua não seria a mesma sem a épica frase de Neil Armstrong: "Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade". A frase "Pai, perdoai-os porque eles não sabem o que fazem" marcou a crucificação de Jesus. Esse, inclusive, criou frases importantíssimas.

As frases por vezes tornam-se lemas de vida. E a união de várias podem servir de apoio para diversos povos. O que seria da luta de Martin Luther King Jr. sem seu famoso discurso? Frases determinam destinos. Formam leis, formam cartas de amor, formam sentenças e formam acordos de paz. Frases, frases e frases. Pensamentos soltos, pensamentos super elaborados ou um desabafo. Ou simplesmente uma questão.


Essa foi a frase inspiradora deste texto. É, eu disse que frases são poderosas. Essa fez eu formar esse amontoado de frases aqui. E também fez eu repensar algumas coisas. Isso tudo fez dela uma frase lema. Pelo menos para mim. Pelo menos para o agora.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Tricota ali, tricota aqui, tricota no inverno!


Tricô! Como eu te quero! Depois de dar o ar de sua graça e enfeitar de leve o verão, o tricô volta ao seu habitat natural. Não existe inverno sem tricô minha gente! Então abuse dele. Opções não faltam. Dá uma olhada nos looks que encontrei.











segunda-feira, 20 de maio de 2013

Penso, penso, penso...

Penso, logo existo já dizia Descartes ao ver que ele poderia pensar livremente e ser o filósofo que era. Ouso aqui adaptar essa frase para: penso, penso, penso, penso e continuo pensando. Sim, essa combina mais comigo. Com minha mente acelerada, ansiosa e muitas vezes confusa. Penso, penso, penso... e escrevo. Algo que sempre fiz e algo que minha terapeuta orientou. Penso, penso e penso. Penso tanto que me estressa. Penso tanto que esqueço o que pensei antes de tudo. Hoje o pensar está me angustiando. Minha tarefa é desacelerar essa mente pensante e maluca. Mas ver uma mulher segurando uma sacola plástica numa mão e portando uma bengala na outra me fez pensar, por exemplo. Sim, ela estava ali parada na beira da calçada olhando para os dois lados da rua. Atravessar era possível, eu mesma pensei umas três vezes e mentalizei: vai senhora! Mas ela não foi. Acho que ela deveria estar pensando, pensando e pensando.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Esquentando a cabeça

É, mais uma onda de frio chegou para agitar nosso outono. É hora de tirar as roupas quentinhas do armário. Um salve para os casacos, para as blusas de lã, para as calças e para as botas. Confesso que amo o verão e escrevi isso para ser amiga das meninas que gostam do frio. Também confesso que, apesar da declaração acima, adoro os acessórios de inverno. E um dos meus preferidos é o gorro. Já andaram publicando por aí que ele vai esquentar muitas cabeças nesse inverno. Sim, vai ser modinha! Vamos aguardar para ver se a velha fórmula vai rolar mais uma vez. Aquela do bombou na gringa = bomba aqui também.

Eu já comprei o meu gorro vermelho. Os próximos serão um preto e um cinza. Falando em cores, uma dica que li foi: roupa colorida = gorro mais discreto. Já se o caso for ao contrário abuse das cores. Aqui vão algumas fotos para inspirar você!







segunda-feira, 13 de maio de 2013

Povo realmente livre?



13 de maio é um dia e tanto. Dia de comemorar a liberdade do povo negro que tanto foi massacrado nesse país. Uma mulher foi a responsável por isso. Que coragem! Foi o que pensei ao lembrar que a princesa Isabel foi quem decretou o fim da escravidão lá em 1888. Que vitória! Que mudança... que bagunça. O povo estava livre, mas não tinha para onde ir. Não tinha emprego, não tinha casa, sofria preconceito, não tinha estrutura para viver, educação, saúde, não podia cultuar seus orixás... cadê a tal liberdade?

E ela hoje existe? O povo continua sem educação decente, sem poder ficar doente, ainda sofre com o racismo, o Candomblé e a Umbanda continuam sendo vistas com maus olhos, o povo ainda está jogado nos morros e nos bairros localizados nas periferias das cidades. A liberdade existe, mas a perspectiva de uma vida melhor ainda parece distante para muita gente. O "rei" continua roubando o que é do povo e ele preso nas correntes invisíveis. Porque elas ainda existem. É, meu País, deixaram meu povo faminto e infeliz. Já dizia o Dazaranha. E diz errado?


sábado, 11 de maio de 2013

Pedalada e cliques

Não casei ainda, então tenho uma bicicleta. Confesso que é a segunda. E cada vez que falarei de bicicleta vou usar essa piadinha. Até eu casar. Depois desse evento matrimonial irei mudar a piadinha, acredito, e continuarei fazendo piadinha de bicicleta e casamento. A primeira bicicleta que comprei era um desastre. Pequena e desconfortável. Realmente um amor que não deu certo. A segunda, já com mais experiência, é bem melhor. Bem mais a minha cara. Só falta uma cestinha para deixar ela ainda mais linda. Ela ser melhor me faz querer exibi-la por aí. Ou seja: andar! E morar em um lugar mais propicio para isso também ajuda. É, acho que o momento realmente favorece a segunda bicicleta.  Como todo segundo amor, novas promessas foram feitas. Uma delas é: andar na Avenida das Rendeiras, aqui na Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Convenhamos que esse cenário pede umas pedaladas diárias. Não, ainda não estou pedalando todos os dias. Eu apenas pedalei uma vez. E como boa blogueira durante todo o trajeto pensei em textos. Sim! E claro, observei o quanto atraente uma mulher andando de bicicleta é. Fiquei surpresa com os olhares. Acho que a bicicleta pode ser uma boa forma de transformar a piadinha ali do início (tá, já imaginei um filme romântico. Com um galã, é claro). Durante a pedalada eu também fiz fotos. Sim, parei, cliquei e continue pedalando. Eu moro há 4 anos em Floripa, a Av. das Rendeiras já não é mais nenhuma novidade para mim, mas ela ainda fascina.

A bike. Foto: Maga Colonetti.

Observando o fim de tarde de alguém. Foto: Maga Colonetti.

.
Ah, o amor. Foto: Maga Colonetti.

Parei e admirei uma árvore. Foto: Maga Colonetti.