sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Babando por: Fernanda Lima

Existem algumas pessoas que fazem você pensar: poxa, como ela consegue. Fernanda Lima é uma dessas que despertam isso em mim. Além de ser linda ela consegue dar conta do que significa ser mulher hoje. Cuida do maridão (e que maridão heim!), dos filhos lindos, é apresentadora, é atriz, modelo, dona de um restaurante natureba e ainda tem sua própria linha de roupas em parceria com a Cantão. Como não babar por ela?

Família linda demax!

O que me faz babar por essa mulher é seu estilo de vestir. Algumas roupas que ela usa no programa não me agradam, mas curto o estilo dela pessoal. As roupas que ela usa no dia-a-dia são super confortáveis e estilosas. Por que gosto tanto? Pra mim o conforto vem em primeiro lugar. Você pode estar linda com um belo tênis no pé.






Amei!

Quero um tênis cinza!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Aprendi algumas coisas nos últimos meses

Hoje é o dia que muitos brasileiros lembram das pessoas que já partiram. É uma forma meio louca de lembrar dos mortos. Eu lembrei desse blog que está mortinho faz alguns meses. E para contrariar a vibe do dia, vou lembrar das coisas da vida e o que aprendi nos últimos meses.

Eu aprendi que voltar a amar alguém é possível, que bloquear a felicidade não é o melhor caminho, que as coisas do passado devem ficar lá, que realmente quando faço uma tatuagem como meta eu alcanço o que quero, que ainda penso muito nos outros antes de pensar em mim, que preciso impor mais minhas ideias, que o legal da vida está nos pequenos momentos mesmo, que a paciência é sua melhor amiga, que a ansiedade tem que ser controlada, que não consigo controlá-la tão bem, que esperar pode ser a única alternativa, que dividir as coisas com alguém é muito legal, que cozinhar junto também, que você não precisa fazer tudo sozinha, que joguinhos de amor não são necessários em relacionamentos como algumas pessoas acham, que o respeito é mesmo um sentimento que todos devem ter por quem está ao seu lado para que todos possam conviver bem com as diferenças. Aprendi que seu corpo dá sinal quando algo não está bem, que não sou uma boa administradora do meu dinheiro, que sei decorar minha casa, que usar seu tempo para pintar coisas e criar faz um bem danado, que ainda não sei ao certo o que realmente quero da vida em alguns campos dela, aprendi que tenho que definir rápido o que quero e que ao mesmo tempo gosto de deixar a vida me levar. Sim, rolou um conflito de ideias nessa última frase... mas aprendi que posso ser mais forte do que imagino, que realmente o amor é o responsável por movimentar o mundo. A falta dele também.

Continuo acreditando que você pode definir o que realmente quer da sua vida, que tudo acontece como deve ser, que ações geram reações, que você pode mudar de opinião, que a indecisão é sim um grande problema pra mim, mas que quando decido é difícil voltar atrás, que viver é a melhor coisa do mundo, que não levá-la tão a sério é necessário em alguns momentos, que levá-la a sério faz parte de ser adulto, que voltar a ser criança em alguns momentos é ótimo, que amigos são tudo de bom, que a família é um porto mais que seguro, que correr atrás dos sonhos é o caminho, que o medo pode te atrapalhar nisso, que você pode vencer esse medo, que o orgulho tem que ser deixado de lado em alguns momentos, que você tem que se amar acima de tudo, que rir é o melhor remédio e fazer rir um ótimo jeito de ser feliz. Que o mar só te faz bem, que o sol te dá energia e que em cada manhã você tem mais uma chance de aprender e ser feliz. E acima de tudo, acredito que tudo vai dar certo sempre.